Início » Blog » Especiais » KINDRED: E se você fizesse uma viagem ao passado mais perigoso?

KINDRED: E se você fizesse uma viagem ao passado mais perigoso?

por Mulheres para se ler

Você sabia que a dama da ficção científica é uma mulher negra? É assim que a grande autora, Octavia Butler, é conhecida. Seu título se deve ao fato dela ser reconhecida como pioneira no gênero e no movimento afrofuturista, que combina a ancestralidade com o sci-fi. Octavia revolucionou a literatura, apresentando ao mundo histórias que trazem grandes reflexões sobre a sociedade e o racismo. Todo esse legado fica bem claro nas páginas do seu primeiro livro que ganhou tradução brasileira.

Octavia Butler é considerada a dama da ficção científica

Em Kindred, a autora nos apresenta a história de Dana, uma mulher negra que ao desmaiar faz uma viagem no tempo que a leva para 1970, mais especificamente para uma fazenda escravista no sul dos Estados Unidos. Ela não entende como faz a viagem, porque a faz e nem o que pode acontecer com ela nesse período tão perigoso da história para alguém como ela. Para mim, essa premissa é genial.

Quando falamos em histórias com viagem no tempo, sempre pensamos na parte glamourosa da história. Viagens para um futuro hipnotizante, com máquinas incríveis e carros voadores. Se for uma viagem ao passado, nós nos deparamos com um protagonista que tenta se adaptar a uma época mais simples, mergulhado na nostalgia e tendo alguns momentos cômicos, claro. Nada disso tem a ver com a história narrada em Kindred. Vocês já pensaram em viajar direto para a época da escravidão? Em que seres humanos eram oprimidos, torturados e mortos com tanta naturalidade quanto os carros voadores no futuro? Essa é uma grande sacada de Butler para nos provocar uma reflexão profunda sobre o passado e suas marcas no futuro.

Nesta história de ficção, o leitor é apresentado a um passado devastador e muito real. É impossível não se chocar e se sentir angustiado com as situações que nos são apresentadas nas páginas do livro. Vemos um passado repleto de crueldade e talvez o pior seja perceber que ainda hoje carregamos as marcas da escravidão. Além disso, outro grande mérito de Kindred são seus personagens complexos, você não vai conseguir colocar eles em uma caixinha, a autora os escreveu com maestria. É o tipo de livro que deixa você perplexo por um bom tempo e analisando cada detalhe das pessoas que conhecemos na narrativa.

Minha leitura do livro foi rápida, a escrita é fluída, a narrativa tem um bom ritmo e doses de suspense que não te deixam largar essas páginas. Apesar de não ter gostado de alguns pontos do desenrolar da história, é impossível não recomendar a leitura. É um livro necessário, instigante e cru. Provoca muitas reações do leitor e, com certeza, merece atenção aos mínimos detalhes.

Leiam Octavia Butler e, claro, leiam mulheres negras!

Daniele Lima

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de Privacidade e Cookies